sexta-feira, julho 15, 2016

sinestesias

É a vontade do mergulho que agonia os sensíveis, ficar sem ar: o masoquismo de cada dia.  Eterno retorno. Querem preencher a todos, enquanto se esvaziam. Se fosse caridade, nem falariam sobre. Talvez, seja desespero. Preencher os espaços com o sensível dá grande trabalho. Eles são ditos como loucos, melancólicos, eufóricos - bem assim nessa ordem. Odeiam os cheiros de azuis. Amam o calor da música e sobriedade das notas.
Ninguém é melhor por ser sensível, aliás, só se é pior por ser sensível.

Nenhum comentário: