quinta-feira, julho 30, 2015

relatos

Hoje me aconteceu algo, como mais um dia em que acontecimentos sem graça e sem nenhuma importância vem. Hoje, em especial, calhou-me de comprar um livro de Neruda. Persuadida por um vendedor de livros em boteco.
Muitos sinais e pouca conversa, de fato. Às vezes, acreditamos que a causa da vida é o destino, embora o fluxo não passe da sucessão de sinais e sensações. Sinais e sensações. Como somos tão facilmente persuadidos pelo efêmero. Superficiais. Mesquinhos. Tão apaixonados, no sentido grego desta palavra. Mas é tão agradável. É tão agradável ser persuadido, tão bom.

Nenhum comentário: