sábado, abril 26, 2014

Todos os dias aqui perto da minha casa

Todos os dias, por volta das 9:30 às 10 da manhã, em um prédio da 309 norte se senta uma senhorinha em uma cadeira de praia. As pernas ficam penduradas e não encostam no chão devido a nanice que a velhice causa.
Todos os dias um velhinho senta ao lado da senhorinha e conversa sobre assuntos banais. Ela olha com um olhar doce, sempre acho que vai dizer algo, mas não diz, só olha, não o responde.
Todos os dias por volta das 17 horas, um menino de três anos desce com a babá para brincar no parque da 309 norte.

- A Maria Eunice chegou - diz outra babá.

- Oi gente! - Maria Eunice se senta no banco de cimento colorido.

E todo dia quando se senta no parque, ela diz:

- De que que vai brincar hoje Pedrinho?

Sempre acho que a criança vai responder. Pedrinho olha, olha fixamente. Mas nada responde. Maria Eunice, sem paciência, volta a conversar com as colegas. E eu me lembro do olhar desesperançoso do velhinho que mora logo ao lado.

Nenhum comentário: