quinta-feira, janeiro 09, 2014

história contada por uma boca

Dois amores e um sorriso. 
Gargalhadas.
Quando uma boca se abre,
a outra se cala.
De dez a cinco beijos,
uma lágrima. 

Sob dias de fumaça,
nuvens cinzas,
espaçadas.

E olhos também beijam
Bocas.

De repente a cor surge,
Um presente
A vista urge.
Sob a cera,
Um corante, de origem não divulgada,
Permite que bastões pastosos risquem peles.
Risquem lábios.
Para que fiquem tão ou mais rosados [que outros lábios]
É sensual
É sexy
É Sex appeal

Riscam corpos,
Riscam peitos
Riscam mentes,

Pintam queixas,
Travestis
Palhaças,
Putas,
E até crentes,
mas só quando casadas.

Mas o fim que é fim
Um dia acaba
Vaidade resta arregaçada
Nas desilusões de uma boca pintada.

Nenhum comentário: