terça-feira, junho 25, 2013

poesia de momento

Me dê tento, teto e zelo sem determinação. Se consegue desfazê-lo, foi amor não. De uns nós para cá, tenho pensado em ostentar toda essa folia secretamente embutida no mal- estar. Curto circuitos neuronais por conta de redes demais. Informações desconexas dão um ciúme.Não que eu seja a favor da censura, mas esse excesso de informação torna as pessoas mais ciumentas, burras e violetas.

Nenhum comentário: