quarta-feira, abril 25, 2012

Deixo

O grande questionamento sobre o amor: por que jogar? Tantos psicanalistas, filósofos, pensadores destricharam a culpa, o puritanismo humano para no fim tudo continuar na bela inércia. Pois qualquer alteração é sinônimo de desordem, de caos. O caos não é bom. Cansei. Eu não posso mais. Me seguro dia e noite. Mas a boca coça mais que bunda de cachorro: eu não sei jogar. Abandono. Diferente de algo que ainda não está conquistado, tudo bem um "joguinho da sedução". Porém, depois de área demarcada, vai conquistar o que? Eu arrego. Mesmo com toda compreensão do mundo, não tenho paciência não. Esse negócio de "jogo" é para quem tem barata no estômago, eu tenho sempre borboletas. Se tá com vontade: liga, dá, faz o que te dê na cabeça. Eu desisto. Diga ao povo que renuncio.

Um comentário:

vitor disse...

A gente cansa, algumas horas descansa e depois cansa de novo. Já já aparece alguem ai e vc anima pra voltar a luta ;P