quinta-feira, dezembro 08, 2011

Sinto sua falta

aparentemente, beatriz sumiu, foi ser feliz. Tô só! Ela também foi só. Mas sem bia não tem palavra. Tem nada. Vou ter de achar outrem bia, sinto muito. Não te troquei, você me trocou pela felicidade. Tô achado isso tudo muito esquisito. E se foi caso de amor, trate de deixá-lo imediatamente! Você sabe que essas coisas não tem jeito.
Bia, você aprendeu finalmente sobre desafeto, desapego, desafeição. Mas continua desatenta que eu sei. Não se vá não, menina.
Vai cair do décimo quinto andar com pétala de rosa na mão, eu aposto. E pago três doses de tequila a mim mesma se eu estiver errada.
Vai morrer atropelada alí no eixão ou em Times Square. Tenho toda a certeza desse mundo. É a única que tenho.
Não se exalte não, bia, é passageira a tristeza, que bom, e a felicidade idem. Não comemore não bia, apenas viva.

Um comentário:

vitor disse...

Tem tempo que não passo aqui direito. Acho que nunca te falei o quanto gosto dos seus poemas. (:

continue escrevendo e postando, por favor.