sexta-feira, novembro 25, 2011

Esperança de um narrador

Ela tava com mania de esoterismo. Incenso. Macumba aos rapazes que lhe dessem fora. Queria transcender na transa e morrer na fumaça. Acabou sozinha achando que felicidade era aquilo mesmo: comer inseto, fumar palha. Isso depois de "subir ao céu" apenas três vezes com um único branco-judeu-paupérrimo-de-cabeça-e-de-cabeça rapaz.Trancou-se no banheiro sem maquiagem e sem roupa. O moço foi embora pra longe. Ela deu graças e pediu arrego. Só lamento,Maria Flor. Só riso. quem sabe na próxima reencarnação tu não encontre um partidão?

Nenhum comentário: