sábado, agosto 06, 2011

O grande desafio

Numa noite fria, comum na cidade em que moro,perguntaram-me: "Qual é o grande desafio?"
Eu como sábio, talvez, pouco, porco sábio, repondi: conhecer.
Buscou-se saber do fora. O dentro ficou para depois, o dentro é fácil de esconder, enfia embaixo do tapete, passa um aspirador. Vocês sabem como funciona a máquina.
Anos luz após descoberta do fogo e o pessoal ainda se queixa de depressão.
Clone de Dolly morreu e tem gente com problema de bipolaridade, pânico, insegurança crônica.
Coisas da cabeça, ou d'alma como sempre digo, ou do coração, ou do corpo, ou de gente.
Maior desafio da vida é se conhecer. Machuca. Machuca muito. Até porque depois de tantas personas, como saber quem realmente é você?
Primeramente, vejamos, camarada. Se teus pais lhe criaram como peixe, peixe irás ser. Não por culpa dos genitores, cautela, por conta das circunstâncias. John Locke diria tábula rasa. Eu digo cabeça vazia. E vocês já sabem muito bem o que isso significa.
Sentar e pensar machuca a cuca e faz arder sentimentos. Sentinela trava lágrimas. Trava garganta que resulta em doença. E só quando a gente senta e pensa, é que a vontade de querer ser aparece. Mas é muito difícil ser uma planta se você sempre foi um peixe, a não ser que você seja uma anemona; alí entre o reino animal cnidária, quase um peixe, quase uma alga. Porém, ser humano é complexo.
Estou de viagem, ando pensando no metro em quem sou, em quem queria ser em quem fui, como as coisas andam.
Mande notícias.
Conne Shui, o sábio
o biscoito da sorte: 23459876
6/08/2011
Restaurante chinês
Rua Peace and knowledge número 502 - Pequim, o amor vem depois.

Nenhum comentário: