quinta-feira, agosto 12, 2010

Atuante


Beatriz, recatada, tímida e gostosa bebeu o líquido vermelho que deixara em cima da mesa. Tranformou-se em Bea.
Saiu pra rua. Usava meia arrastão, batom uva e mini-saia. Olhos felinos e falsos, feitos com o delineador mais barato que pôde comprar.
Marcos a viu sentada sozinha:
- Você é meretriz?
- Sou - respondeu, mesmo sem nem saber o que significava a palavra
Bea jamais daria atestado de ignorante. Achou "meretriz" muito sofisticado e apropriado para a ocasião.
Os dois jantaram, foram a um restaurante fino e acabaram no motel de luxo.
Enrolada no lençol, Bea acordou com o feixe de luz ardente na cara às nove da manhã. Pulou da cama: "Senhor Deus, vou levar bronca do chefe". Viu o dinheiro em cima da mesa, ela não lembrava da noite passada. Dinheiro é dinheiro, então pegou.
Alguém gritou dentro da sua cabeça "MERETRIZ". Mas o que importava? Não sabia o que significava mesmo.
Pegou um ônibus e foi trabalhar.
Mentiu, ludibriou, fez feliz.
A sedução atuante mais uma vez.

Nenhum comentário: