quarta-feira, julho 21, 2010

Precisamos salvá-las


E se eu quiser ser assim? Posso?

Lutaram por melhores condições de trabalho, por dignidade e por igualdade, muito bem feito. Queimaram sutiãs, algumas até morreram, eu agradeço, de coração.
Nesse ano, de 2010, estou livre para trabalhar, dirigir e usar calças.
Estou livre para ser dona de casa? Creio que não.
Dona Maria faz bolinhos, cozinha, arruma, lava e passa. As amigas olham de cara feia. "Não quero trabalhar, meu trabalho é minha casa. Cuidar dos filhos e do marido. Posso?" - pergunta
sociedade responde: NÃO.
" Vamos salvá-la, vamos libertá-la da submissão"
Não é submissão, é uma escolha é a escolha dela.
Na França, proibiram o uso da burca, o Estado diz que é uma afronta ao ideal francês libertário. Deu pra entender essas duas palavras na mesma frase PROIBIRAM E LIBERTÁRIO? Paradoxal.
A burca pode parecer tão repressora na nossa visão ocidental, mas no Islã ela tem um caráter maior, não apenas político ou convencional, mas o caráter cultural e histórico. Algumas mulheres afirmam que a burca funciona como uma "casa-móvel" e gostam de usá-la.
Os problemas do oriente vão bem além da burca e do véu. O que não podemos relativizar são as questões políticas, relacionadas a dignidade, ao direito e a igualdade.
Não sou relativista, no entanto, convenções por convenções também temos várias. Somos proibidos de andar pelados, ou passear num shopping de bikini. É diferente? Talvez.
Essas questões são tão subjetivas e complicadas. Outro dia me deparei com o depoimento de uma mulher do Afeganistão explicando que a mutilação genital é voluntária. Sinceramente, quantos sabiam disso? Eu podia jurar que era algo imposto pelo Estado desde o nascimento do bebê. Na verdade, as mulheres se sentem sujas por possuir clitóris, elas mesmas tomam a decisão de retirá-lo.
Juristas afirmam que a mutilação do corpo vai contra os direitos humanos, mas e sendo nesse caso, voluntária? Tatuagem e piercings também não são formas de mutilação?


Encontrei esse imbecil no youtube e queria compartilhar com vocês. Podem discordar ou não, já deu para perceber que eu discordo né?

Você pode discordar, dizer que essas mulheres estão erradas por se sentirem sujas apenas por ter um clitóris. Como provar que uma cultura está errada? Isso não denotaria etnocentrismo (superioridade cultural) e um eventual etnocídio (morte cultural)? Percebe a problemática?
Nós mulheres ocidentais também nos sentimos sujas quando não nos depilamos. Vamos nos depilar, colocar cera quente no corpo, tortura imposta pela sociedade? Imagina, quê isso... é somente uma questão estética. Será?
Não sou a favor ou contra uma cultura, isso não faz sentido para mim. Sou a favor da dignidade humana e da reflexão. É fácil falarmos de fora sem conhecer de perto contexto (histórico,cultural e religioso) em que essas mulheres vivem, muito prepotente da nossa parte.
Penso que é preciso acabar com esse discurso do salvamento tanto das mulheres islamistas quanto das donas de casa.
Temos primeiro que salvar a nós mesmas, ocidentais e proletariadas.

7 comentários:

Samantha Canovas disse...

Muito bom. O que falta mesmo na visão da sociedade é justamente essa visão, de ver tudo por todos os angulos apresentados. Só assim podemos construir uma capacidade crítica boa o suficiente, e digna, para vivermos em grupo. E o cara do vídeo é realmente um panaca.

Ana Paula Lisboa disse...

Ótimas idéias, babi.
e sobre a mutilação genital: indico q vc veja o filme "flor do deserto" - acho q ainda tá em cartaz no Iguatemi - é baseado em fatos reais e conta a história de uma modelo africana. E ao contrário das mulheres afegãs, lá as mães levam suas filhas com 3 anos de idade para serem mutiladas, e as meninas não tem a menor escolha.
e sobre ser dona de casa: todo mundo acha q mulher sem cabeça e q sonha pequeno é q quer ser assim... mas há q realmente se pensar q tem gosto e escolhas de todo jeito.

bjooos

Gabriela disse...

babi, o unico erro do texto eh vc dizer que a mutilaçao genital é voluntária. como a ana disse, as menininhas não tem a menor escolha. faz uma correção aí =)
ps: já viu `o sorriso da monalisa`? fala justamente disso.

Anônimo disse...

nao que eu concorde com o cara do video, mas eu acho burca um absurdo.

Dayana Hashim disse...

Oi Babi,
Gostei muito da postagem, e vou aproveitar pra deixar minha opinião também. ^^
Sou muçulmana de nascimento, mas não praticante, e inclusive sou contra o uso obrigatório da burca. Mas ao tempo sou contra a sua proibição num país dito "livre".
Acho que o uso da burca tem duas dimensões: a religiosa, imposta; e a cultural, que faz parte da identidade dessas mulheres. Sim, é verdade que as muçulmanas têm seus direitos reprimidos em muitos países, mas isso não vale para todos os lugares. Conheci muitas mulheres recatadas e independentes que vestiam o véu (que cobre só a cabeça, mas ainda é uma forma de se cobrir) com orgulho. Se cobrir não é igual a ser oprimida.
Enfim, o que quero dizer é que a intenção é boa, mas estão atacando pelo lado errado. Proibir a burca não vai acabar com a repressão contra as mulheres, que aliás é uma questão cultural, de origem árabe, e não religiosa. O Islam em si não prega isso. Esse problema deveria ser resolvido pela própria sociedade árabe, muçulmana, que seja. Os franceses não deveriam se achar no direito de decidir sobre isso!

marilia disse...

E verdade mesmo.Em muitos paises,a mutilacao genital nao e obrigatoria.Como voce ainda especificou Afeganistao,esta certinho.As mulheres fazer por questao de cultura,ja teve ate debate sobre isso.Ja em alguns paises africanos,geralmente elas fazem quando sao pequenas e nem tem direito a escolher.(meu teclado nao tem as teclas dos acentos nem do c cedilha)

Bárbara Cabral disse...

A mutilação é voluntária em alguns lugares sim! É pra isso que eu quis chamar atenção.. o que ninguém sabe.
Eu pessoalmente sou contra, mas estou levantando questionamentos.
Gente, podem concordar ou discordar. O que eu chamo atenção no texto é que devemos nos preocupar menos com as questões culturais, e mais com as questões políticas e de dignidade em si.
Ex: como a mutilação é feita? De forma higiênica?

Uso da burca, mutilação genital voluntária.. concorde ou discorde, essas são opiniões pessoais a respeito de uma cultura.Justamente o que todo mundo discute.
Agora eu quero ver se alguém discute implantação de um sistema político de inclusão das mulheres, ou higienização na mutilação... é isso que eu to falando.