sábado, fevereiro 27, 2010

Tudo em prol do sexo.


Bom, esse é um texto inspirado em uma pequena discussão sobre relacionamentos com o sábio Jóta.
Semanalmente entro no www.personare.com.br (publicidade básica) para chegar em qual posição Neturno está com a Lua e como isso poderá influenciar na minha vida.
Um belo dia, meu horóscopo me propôs algo que eu acredito ser impossível: jogar charme, mas sem qualquer intuito sexual.
Como Twitter faz parte do meu ócio de férias, twittei minha indignação pela frase paradoxal publicada no meu personare. Bastou alguns minutos para eu receber algumas resposta como "Sexo não é tudo em um relacionamento", "Claro que é possível jogar charme sem segundas intenções". No mundo dos românticos apaixonados deve ser. No entanto, onde eu vivo não é bem assim.
Calma, não sou um homem. Sou romântica, acredito no amor, mas o que move mesmo o mundo é o sexo, pelo menos primeiramente.
O que é o amor a primeira vista a não ser um tesão fulminante por um estranho? Na verdade, não é um amor, como amar alguém que acabaou de conhecer? É uma atração sexual inexplicável, um fetiche, uma combinação química de ferôrmonios. E depois a afinidade determina se dá ou não pra continuar apenas no bel prazer do sexo.
O que te faz querer ficar, conhecer uma mulher? A achou interessante? Bonita? Sensual, talvez. E isso tudo não tem uma conotação sexual? A resposta é: sim. Ninguém que ir com uma feia, burra ou desengonçada pra cama, não se quiser ter prazer de verdade. O sexo começa bem antes de entrarmos no quarto, fica a dica. Na conversa, no charme, no toque...
A gente procura alguém que tenha os mesmos gostos, afinidades, maior compatibilidade de ter um encaixe melhor, não só na vida, mas na cama!
E pense por esse lado: se não houvesse intenções sexuais durante o "jogar charme", talvez eu jogasse charme em um amigo, ou em uma amiga, afinal é tudo uma brincadeira.
Seduzir por diversão é no mínimo aceitável, mas é mesmo um treino para a sedução real - aquela que depois de um bom papo te leva pra cama.



ps: não sou ninfomaníaca, sexóloga, ou psicanalista. Sou só curiosa e observadora de relacionamentos alheios.

2 comentários:

Anônimo disse...

claro que não concordo, haha, mas ok.

Anônimo disse...

jÁ EU CONCORDO PLENAMENTE.