terça-feira, novembro 24, 2009

Pensando alto


Pessoas andando sérias, outras sorrindo. Algumas olham para baixo, outras com o nariz empinado.

Na rua, na faculdade, no Grande Circular circulam pensamentos dos mais interessantes possíveis, pena que ficam só dentro da cachola.

A moça no ônibus senta, olha para trás, faz cara feia, mexe no celular e encosta a cabeça na janela. Brigou com o namorado, brigou com o marido ou tá com fome ?É difícil saber, bom mesmo é tentar adivinhar.

Fascinante são os que, como eu, falam consigo.Não os chamem de loucos, tão pouco de sozinhos. Expressar as ideias em bom e alto tom é uma maneira de aliviar a tensão, digo por experiência própria.

Ainda não tive coragem de pensar alto em público, em casa é o que mais faço.Parece estranho, mas transformar pensamentos em som não é nada demais.

Pensar já é falar consigo mesmo.Pensamos em uma língua e com palavras. O pensamento é uma atividade linguística, quando abrimos a boca só estamos externalizando os signos, as ideias e os conceitos já estabelecidos em nossa mente.

Discutimos e aconselhamos nosso próprio eu,melhor dizendo, nossos próprios eus.

O autor de um texto não estaria falando sozinho?O autor cria um diálogo entre eu-autor e o eu-leitor. Conversa por meio da escrita consigo mesmo. Não sabe quem serão especificamente seus leitores. Escreve ao mesmo tempo para outros e para si mesmo.

Falar sozinho não é egoísmo ou egocentrismo. É saudável.
Sabe-se que esta atividade em algumas culturas orientais é sinônimo de meditação e sabedoria.

Bom, a psicologia explica.

ps: eu falo sozinha e os bebês, as criaturas mais inteligentes da terra, também.

Um comentário:

Moema disse...

adorei esse texto, sério. Também gosto de tentar adivinhar o que as pessoas no ônibus tão pensando...

e sobre falar sozinha, falo só por pensamento mesmo, mas sempre bato altos papos comigo mesma, rs.