sábado, junho 02, 2007

Marilda e o jantar a dois


Marilda quis então sair com Roberto,que já estava te enxendo o saco há mais de 9 meses(não sei como o filho ainda não tinha nascido),marcaram sexta 9 hs,Roberto a pegaria em casa.
Marila,apesar de bem de vida,morava em cima de uma loja de coveniência,tinha o cabelo loiro e cacheado ,uma bunda grande e roupas exuberantes,chamava a atenção dos homens em geral,mas era um tanto atrapalhada que depois da primeira noite estragava tudo ,por isso enrolava os caras o máximo possível antes do primeiro encontro para que eles se apaixonassem e não se assustassem com seu jetinho ,um pouco atrapalhado de ser,o que nunca deu certo.Talvez essa fosse sua grande chance,Roberto era bonito,rico e nerd.Tinha um segredo que Marilda sabia mas que ele não sabia que ela sabia,o irmão dele,Joaquim,contou a marilda que Roberto nunca tinha beijado e muito menos transado,era virgem!Pimbaaa!Era o cara certo!Não tinha piolho,nem sabia o que era uma mulher ,tava afim dela,rico e não tinha mais de 70 nem a confundia com a empregada.
Chegou o dia,Marilda já sabia o que ia fazer,bancar "a professora" seria a solução,o cara não sabia de nada mesmo,se fosse satinha demais podia acabar perdendo então por aquela noite seria a mulher sedutora.Colocou seu vestido preto da Prada,um salto alto vermelho e sua bolsa preta Fendi,batom vermelho,leve sombra nos olhos e um pouco de perfume.Roberto chegou,olhou pra ela e começou a suar,com seu lencinho na mão enxugou o suor ,abriu a porta do carro Marilda entrou.O restaurante era um verdadeiro luxo,luz de velas e comida francesa e tailândesa,a conversa estava boa,os dois sendo eles mesmo.Marilda estava esperando um pouco pra começar sua sessão "Mulher Fatal".Roberto resolveu ir ao banheiro enquanto a sobremesa não era servida,quando estava voltando ele pediupara que um dos garçons trouxessem o melhor espumante da casa e quando sentou à mesa já estava lá,Marilda encarnada pela Marylin Moroe ou sei lá o que ,começoua a chupar o morando da sopa de frutas vermelhas com os dedos fazendo movimentos com a boca,mas parecia que ela estava com um tique nervoso.Roberto nervoso ,voltou com o lencinho de seda a testa pra enxugar o suor.Marilda começou a delirar:
- Como está doce esse morango - colocando a língua pra fora
De repente a moça da mesa ao lado começa a passar mal alegando estar meio enjoada,mas sua mãe diz que ela têm problemas com línguas,pois teve problemas com isso a um tempo atrás.O garçon chega com a garrafa de espumante no exato momento que "discretamente" Marilda da um chute pra cimano estilo cancan ,na esperança de ser sensual, mostrando sua cinta-liga, a garrafa de champanhe voa e cai na cabeça de Roberto, que morre,não pela garrafada na cabeça,mas pelo o beijo que Marilda te deu que o fez vomitar e se afogar com o próprio vômito.

Nenhum comentário: