Pular para o conteúdo principal

Postagens

Destaques

Ínfimos seres

Às vezes eu gosto de adotar uma postura soberba, como se eu soubesse sempre mais que os outros, mas sem denotar; eles, quando o fazem, denotam.
Observo as mesquinharias, as carências, os vícios camuflados pela paixão.
Aqui mesmo de onde estou, avisto o clichê do amor romântico enquanto resposta para os traumas mais profundos que não se consegue resolver.
É, também avisto o clichê do sexo: dar algumas vezes para gastar aquela energia já que não há coragem de empregá-la onde ela seria essencialmente necessária.
E eu sentada em frente a janela, prometendo a mim mesma que devo parar de fumar - enquanto fumo um cigarrinho de palha.


Últimas postagens

É hora de voltar

sinapses poéticas

Estapafúrdio

nonsense

fumar é como meditar.

Risonha

lamento

não tenho tempo de escrever, estou morrendo

desreconhecer-se

tédio